Como amenizar os efeitos do "Jet Lag"

 

 

Quem viaja bastante de avião já deve ter se sentido desnorteado quando sai de um local durante o dia e, após uma viagem de várias horas, chega ainda de dia a outro. Ou acaba “perdendo” um dia por conta do horário do destino. Chamada de jet lag, essa desorientação é uma tentativa do corpo humano em se adaptar onde está.

 

“Quanto maior o fuso, o sintoma é pior. Temos um relógio interno que funciona através de estímulos, como a luz ou a ausência dela, e que interfere na nossa dieta e atividades”, afirma o dr. Gustavo Johanson, infectologista do Einstein e especialista em medicina do viajante. “Por isso sentimos sonolência, ou insônia dependendo do lado para que se viaja, cansaço, irritabilidade, mal estar, dor de cabeça ou perda de apetite”.

 

Para amenizar estes problemas, o especialista afirma que é válido tentar se adaptar antes da viagem, ou seja, buscar entrar no horário do local de destino antes mesmo de partir. “Se possível, indico tentar se aproximar uma hora por dia antes de ir. Se for para o leste, buscar ‘adiantar’ o dia, já para oeste, ‘atrasar’”.

 

 

 

Luz solar como guia

Conforme explica o Dr. Gustavo, a explicação para o cansaço chamado jet lag é fisiológica. Quando ficamos expostos à luz, nosso cérebro estimula a produção da melatonina, responsável por regular o ciclo do sono e manter a vigília. “Por isso indico às pessoas que vão viajar para leste acordar um pouco mais cedo, entre 4h e 10 da manhã, e fazer uma atividade ao ar livre, como uma caminhada, por exemplo”.

 

Outra saída consiste na utilização de medicamentos que podem induzir ao sono ou energéticos estimulantes. Porém, nestas situações, é preciso ter cuidado. “É importante usar com cautela e prescrição médica, já que muitos deles podem levar à dependência”, afirma o médico, dando outra dica simples. “Opte por não marcar reuniões ou eventos importantes para logo depois da chegada, ou seja, no horário da madrugada do relógio biológico de origem”.

 

Outra dica para amenizar os sintomas é, assim que chegar, se expor ao ar livre e fazer um exercício leve, como uma caminhada. “Nosso organismo se adapta conforme a quantidade de luz do ambiente. Se falta luz, o corpo entende que está se aproximando da hora de dormir, se tem muita luz, é o contrário”, explica o infectologista. Para o corpo ter mais tempo para se adaptar a luz, vale a pena também marcar o desembarque para o período da manhã.

 

Quem vai ficar no local de destino por pouco tempo, caso geralmente das pessoas que trabalham com aviação, vale inclusive tentar manter os processos biológicos originais, ou seja, dormir quando for noite no lugar de origem e realizar as atividades com base nestas horas.

 

 

 

Intensidade dos sintomas varia com a idade

Todos estão suscetíveis a sentir os efeitos de uma viagem por vários fusos, porém o jet lag varia de pessoa para pessoa e tende a mudar conforme a idade. “As crianças geralmente se adaptam melhor, enquanto os idosos têm mais dificuldades”, afirma o Dr. Gustavo, garantindo que, fora os sintomas de desorientação, mudar constantemente de local não traz grandes consequências. “A não ser que a pessoa vicie nos medicamentos para aliviar os sintomas, não tem nenhum problema”, finaliza.

 

 

 

 

 

 

Fonte:  http://www.einstein.br/einstein-saude/bem-estar-e-qualidade-de-vida/Paginas/saiba-como-amenizar-os-efeitos-do-jet-lag.aspx

Please reload

Últimos posts

Hambúrgueria inspirada na Terra dos Bruxos

1/10
Please reload

Mais postagens
Please reload

Fale Conosco - São Paulo - Brasil
Redes Sociais
São Paulo-Brasil
Realização: